Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Produção Nacional Faz Bem

Apoiar a produção nacional nas diversas areas possibilita melhorar o nosso nível de vida, basta cada um de nós fazer a sua parte

Produção Nacional Faz Bem

Apoiar a produção nacional nas diversas areas possibilita melhorar o nosso nível de vida, basta cada um de nós fazer a sua parte

30.Mai.14

4 milhões de Furos!!!



A máquina de furos Regina está a revelar-se um verdadeiro sucesso chegando aos 4 milhões de furos no mês de Maio, inicialmente as expectativas da Imperial empresa detentora da marca Regina indicavam para 3 milhões de furos num ano, marca que já foi mais do que ultrapassada em apenas 7 meses.

30.Mai.14

Apanha de Mirtilo


Boa Noite,

Após a nossa noticia sobre a apanha de Mirtilo que decorre de Maio a Setembro em várias regiões do país e que necessita de 15 mil pessoas para a campanha, recebemos inúmeros pedidos de informação sobre a campanha de mirtilo. Apesar de não termos qualquer ligação com os produtores estamos a encetar esforços para que os produtores interessados em mão-de-obra para a apanha nos disponibilizem dados para que nós possamos transmiti-los aos interessados em participar na apanha do Mirtilo. Assim que tivermos novidades iremos divulgar aqui na nossa página de Facebook e no nosso blog.

David Silva, Produção Nacional Faz Bem.

 

19.Mai.14

Fruta Feia evita desperdício de 18 toneladas de produtos.

 

 

O projecto Fruta Feia que se baseia no aproveitamento de fruta e legumes que o mercado não quer pois não cumpre as exigencias ou de tamanho ou de aspecto. Os produtores em vez de deitarem para o lixo toneladas e toneladas de fruta e legumes, vendem os seus produtos aos associados do Fruta Feia.  Neste momento estão inscritas 300 pessoas que recebem semanalmente os cabazes de produtos hortícolas. Em cinco meses, já se evitou o desperdício de 18 toneladas de produtos. Em Setembro, os cabazes da Fruta Feia deverão chegar a outros pontos do país. 

Todas as semanas os cabazes são compostos por diferentes ingredientes como Morangos, Maçãs, laranjas, couves, courgette, pepino, ou seja por produtos da época. Os cabazes são economicos e os produtos de excelente qualidade, a frescura está garantida, pois a maioria dos produtos são colhidos no dia da entrega. 

 

 

Os interessados em comprar os cabazes do projecto Fruta Feia têm apenas de se inscrever para serem sócios da cooperativa, pagando uma quota anual de cinco euros. Depois podem receber semanalmente, os seus produtos nos locais indicado pela organização (neste momento largo do Intendente e Ateneu Comercial de Lisboa. Os cabazes pequenos (entre 3 a 4 quilos) custam 3,5 euros e os cabazes maiores (6 a 8 quilos) custam 7 euros. 

Tentando combater o desperdicio e promovendo uma economia sustentavel o projecto fruta feia visa recuperar os cerca de 30 por cento da fruta produzida em Portugal e no resto da Europa que vai directamente para o lixo por não cumprir as exigências do mercado.

19.Mai.14

A Arcádia continua a crescer.

 

A marca portuguesa Arcádia continua a expandir o negocio, tendo chegado esta semana à Praça da Liberdade e à Rua Formosa no Porto, e ao Mercado da Ribeira em Lisboa. Em junho, a empresa vai abrir também um espaço na Rua de Santa Catarina, no Porto.

19.Mai.14

Apanha de Mirtilo vai mobilizar 15 mil pessoas.

Foto: A produção de mirtilo em Portugal não para de aumentar e vão ser necessários para a apanha deste ano cerca de 15 mil pessoas. Portugal tem neste momento 1000 hectares desta cultura.Tudo aponta para que a produção duplique nos próximos 5 anos. A maioria da produção é exportada para países da União Europeia como Holanda, Bélgica e França.As regiões mais conhecidas pela produção deste fruto são, Sever do Vouga e Idanha-a-Nova, no entanto tem vindo a conquistar outras regiões, como é o caso do Viseu e Alentejo.Um kg deste pequenos fruto pode custar ao consumidor final entre 25/30 euros, o agricultor recebe cerca de 4/5 euros.

 

A produção de mirtilo em Portugal não para de aumentar e vão ser necessários para a apanha deste ano cerca de 15 mil pessoas. Portugal tem neste momento 1000 hectares desta cultura.

Tudo aponta para que a produção duplique nos próximos 5 anos. A maioria da produção é exportada para países da UE como Holanda, Bélgica e França.
As regiões mais conhecidas pela produção deste fruto são, Sever do Vouga e Idanha-a-Nova, no entanto tem vindo a conquistar outras regiões, como é o caso do Viseu e Alentejo.
Um kg deste pequeno fruto pode custar ao consumidor final entre 25/30 euros, o agricultor recebe cerca de 4/5 euros.
texto David Silva